Borboleta…

Liberdade …Você vê uma borboleta e a toma em suas mãos. Você vê sua beleza e a coloca no seu coração.

Desejando mantê-la consigo, Você fecha as mãos em torno dela, com receio de que voe e se vá. Com grande alegria você pensa: “agora posso tê-la para sempre”.

Logo a alegria se vai, pois a beleza da borboleta já não é mais a mesma. Parte de sua beleza era a sua liberdade. A borboleta sente-se traída. Alguma coisa cruel afastou-a de sua liberdade.

  

Em pânico, ela se debate para libertar-se, apenas fazendo você apertá-la mais forte. Percebendo como a borboleta deve estar se sentindo você abre suas mãos.

Ela voa novamente para longe, agradecida por sentir-se livre outra vez. Você, então, pensa em palavras que há muito havia esquecido:

Se você ama alguma coisa, deixe-a livre.

Se voltar, é por que é sua…

Se não voltar, é porque nunca foi.