Somos fiéis a nós mesmos?

Somos fiéis a nós mesmos?

Trocamos a cor dos cabelos, damos-lhes o melhor corte, e às vezes somos tão resistentes em trocar alguns pensamentos, sem notar o quanto nos enfeiam.

Colocamos óculos elegantes, lentes coloridas, mas nem sempre pomos no olhar um brilho de alegria de viver.

Fazemos plástica, esticamos a pele, verdadeiros malabarismos para um rosto mais “bonito” e quase nunca lembramos de que uma expressão serena garantiria mais de meio caminho andado.

Tratamos os dentes, “compramos” sorriso, mas bem raramente sorrimos espontaneamente como o homem simples e sem dentes ou a novinha criança.

Fazemos musculação, “correção” de seios, mas com que pouca freqüência mostramos os reais sentimentos que levamos no peito!

Obedecemos a rígidas dietas para ganhar ou perder peso, para sermos mais “elegantes”, mas não questionamos se somos uma presença leve e agradável.

Baixamos o guarda roupa, compramos roupas novas, buscamos andar na moda, mas não nos desfazemos de alguns hábitos, costumes e crenças antigas que nada somam ao presente.

Vamos para outra casa, renovamos a mobília, trocamos de carro, mas resistimos a mudar por dentro, não tiramos o que está “velho”, não damos novas direções ao nosso mundo interior. 

 

Mentimos, enganamos, traímos pessoas que confiaram em nós.

 

Então…

 
Mudamos nossas relações, trocamos de amigos e queremos que os amigos mudem para satisfazer nossas necessidades. Assim prosseguimos perdendo pessoas que poderiam ser bênçãos em nossas vidas.

 
Não estará na hora de mudarmos a nós mesmos, mais profundamente, mais amorosamente, e colhermos de graça frutos de sabedoria que existem à nossa disposição?

 

Que grande aventura será mudarmos um pouco por dentro toda vez que mexermos no lado de fora! O Universo sempre apóia cada mudança bem feita. Será um novo desafio a cada novo dia!

QUEM ACEITA?